Nelson propõe revitalização e mais segurança no Centro de Convivência

Já não bastasse o abandono das obras de reforma dos teatros, o Centro de Convivência agora se transformou em ponto de encontro de usuários de drogas. A situação foi flagrada pelo vereador Nelson Hossri (PODEMOS), que fez um pedido à Prefeitura de Campinas solicitando a revitalização do local. A sugestão do parlamentar é que a administração municipal utilize a verba até então destinada para a construção de um novo teatro no Parque Ecológico Monsenhor Emílio José Salim para a reforma do Centro de Convivência.

Um dos principais pontos turísticos de Campinas, o Centro de Convivência está interditado desde dezembro de 2011, mas as obras de reforma nunca saíram do papel. A praça conta com um teatro de arena com capacidade para cinco mil pessoas e um teatro fechado para 500 espectadores.

Mais segurança

Além da revitalização, o vereador Nelson Hossri solicitou a presença da base da Guarda Municipal na praça. O parlamentar também pediu que o ônibus do programa “Crack, é possível vencer” seja deslocado diariamente para o espaço. 

Durante uma visita feita no local, Nelson constatou a presença de usuários de drogas e pessoas em situação de rua, que aproveitam a estrutura dos teatros abandonados como abrigo. “O Centro de Convivência deveria ser destinado ao lazer, esporte, comércio e descanso da população. Hoje, infelizmente, encontra-se em situação precária, servindo como palco de violência e tráfico de drogas. Encontramos até pinos de cocaína na praça, sem contar com garrafas de bebidas alcoólicas”, lamentou.

Por conta do abandono, o vereador também fez um requerimento solicitando informações sobre a reforma dos teatros. “É uma pena que um espaço que já recebeu inúmeros eventos esteja naquela situação, repleto de pichações. Sabemos da crise econômica e, por isso, sugerimos que, caso não haja recursos suficientes, a Prefeitura viabilize parcerias com a iniciativa privada ou que, ao invés de construir um teatro novo, que reforme o Centro de Convivência”, completou Nelson.

As indicações e requerimentos já foram protocolados na Prefeitura, que tem um prazo de 30 dias para responder os questionamentos do vereador.