Vereador Nelson Hossri pede o afastamento de Jonas

O vereador Nelson Hossri (Podemos) protocolou um pedido de afastamento do prefeito Jonas Donizette pelo prazo de 90 dias. A solicitação se baseia na Constituição Federal, que determina a saída cautelar do chefe do Poder Executivo, em caso de instauração de Comissão Processante.

Para o parlamentar, a alta complexidade do esquema de corrupção desvendado pelo Ministério Público exige um trabalho de investigação da CP com higidez e lisura. “A exoneração e recontratação de servidores comissionados da Prefeitura são fortes indícios de pressão política que o Poder Executivo está fazendo para impedir a atuação independente da Câmara”, defendeu o vereador.

Nelson Hossri lembra ainda que a omissão perpetuada durante todo o contrato celebrado com a Organização Social Vitale e as inconclusivas sindicâncias internas realizadas pela Administração Municipal também devem ser levadas em consideração para a aprovação do afastamento.

Em 2011, os então prefeitos Hélio de Oliveira Santos e Demétrio Vilagra também foram afastados após a abertura das Comissões Processantes para investigar desvios na Sanasa.

“Se em 2011 os prefeitos foram afastados para evitar interferência por conta do considerável poder de influência que o Chefe do Executivo em exercício possui sobre os demais servidores, qual o motivo do Jonas permanecer no cargo?”, questionou Nelson.

O caso

De acordo com o Ministério Público, Jonas foi citado por empresários em interceptações telefônicas, por supostas negociações para beneficiar a Vitale, empresa que administrava, desde o ano de 2016, o Hospital Municipal Ouro Verde. Por conta disso, a Procuradoria Geral de Justiça passou a investigar o prefeito.